A presidenta Dilma Rousseff reforçou a importância do combate à proliferação do mosquito Aedes aegypti no País para conter o zika vírus e a dengue. Ela discursou na abertura dos trabalhos ano legislativo do Congresso Nacional, que contou com a presença de diversas autoridades, entre elas o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera.

Dilma foi enfática na necessidade de impedir que os mosquitos se reproduzam e tenham a capacidade de infectar seres humanos. A presidenta destacou o fato de a Organização Mundial da Saúde (OMS) ter declarado emergência de saúde pública internacional para o zika vírus. Ela lembrou ainda que o Governo Federal vem conduzindo uma série de ações para combater o Aedes aegypti.

“Como não existe vacina, o melhor remédio é o enfrentamento do mosquito Aedes, impedindo sua proliferação. Porque, se o mosquito não nascer, o vírus não tem como viver. Estamos agindo em todo o Brasil. Mobilizamos profissionais das Forças Armadas, equipamentos e larvicidas para apoiar estados e municípios”, afirmou Dilma. “Todo o meu governo está engajado no enfrentamento desta emergência. Não faltarão recursos e tenho certeza de que contarei com a sensibilidade do Congresso, para que possamos reverter a epidemia do zika vírus”, completou.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) faz parte do esforço do Governo Federal no combate ao inseto. Recentemente, o ministro Celso Pansera se reuniu com representantes das fundações de amparo à pesquisa (FAPs) para unificar as ações para evitar a proliferação das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

“Queremos fazer um grande esforço conjunto de abrangência nacional para fazer estudos novos e dar continuidade às iniciativas exitosas”, disse Pansera, à época.

 

Sem comentários.

Deixe uma resposta

O e-mail não será publicado. Requerido(*).