O Prefeito Oscimar Ferreira recebeu nesta sexta-feira(14/07) em seu gabinete, o Superintendente Estadual de Turismo, Júlio Olivar, que está atualizando o mapa de turismo no Estado de Rondônia e destacou o potencial desse setor em Campo Novo de Rondônia. O Prefeito enfatizou que já indicou o Parque Pacaás Novos em Campo Novo como uma efetiva região turística, pela beleza natural de sua fauna e flora, região de várias nascentes e onde fica localizado o Pico do Tracoá, o pico mais alto do Estado de Rondônia, com cerca de 1.126 metros de altura.

Foram apresentadas imagens com cachoeiras, cursos d’águas, animais e plantas que fazem parte da biodiversidade do Parque Pacaás Novos.

Na reunião foi assinado um termo de cooperação para fomentar a atividade turística no município, e contou com a presença do Secretário de Administração Genivaldo Camilo, Secretária de Educação, Esporte, Cultura e Lazer Wilma Ferreira, Secretário de Obras Roberto Tavares e do Secretário Isaac Santana.

Clique aqui e veja fotos do Parque Pacaás Novos.

Ao final da reunião Júlio Olivar, entregou um exemplar de seu livro “A cidade que não existe mais” ao Prefeito Oscimar, que recebeu com apreço, agradecendo pela presença, parabenizando pelos excelente trabalho que vem realizando e destacou que não medirá esforços para que o turismo seja mais uma fonte econômica na região.

Município de Campo Novo de Rondônia é eminentemente rural (75% da população) surgido em função da seringa e da madeira, hoje se destaca em diversas culturas e na pecuária; completa apenas  24 anos com incontáveis potenciais econômicos, incluído o turístico.

Campo Novo oferece vários pontos a serem explorador turisticamente, dentre eles:

– O Parque Nacional  Pacaás-Novos é uma reserva biológica com 800 mil hectares, sendo 30% localizados no município; a gerência (ICM-Bio) e a entrada ao parque estão em Campo Novo;

– O Pico Tracoá é o ponto mais elevado de Rondônia, com 1126 metros de altitude;

– O município tem diversas cachoeiras cinematográficas e uma muralha de pedra (ainda sem nome) com 70 km de extensão;

– O cânion é atração à parte;

– A pesca esportiva também pode ser explorada pois alguns dos principais rios do estado nascem em Campo Novo: Candeias, Jamari, Jaci-Paraná e Pacáas-Novos;

– Terra Indígena Uru-eu-au-au, que pode, segundo o interesse dos próprios moradores, tornar-se atrativo turístico com sua rica cultura, com danças, artesanatos e modo de vida.

A maior dificuldade para promoção de Campo Novo como destino de ecoturismo e turismo de aventura  é o acesso, ainda por estrada de terra. Porém, o Governo do Estado já está resolvendo esse problema. Estão avançando as obras de pavimentação da BR-421 (25 km, R$ 54 milhões de investimento) com conclusão prevista para abril de 2018.

“Junto com o envolvimento da iniciativa privada e a qualificação do trade, todas as apostas é de que Campo Novo se transforme num dos mais badalados destinos turísticos (sempre com responsabilidade e auto-sustentabilidade) ainda mais com a visão de um prefeito-professor, afeito à cultura, à memória, demonstrando em suas falas muito conhecimento e entusiasmo pelo turismo como uma grande alternativa econômica e social”, disse o superintendente.

Sem comentários.

Deixe uma resposta

O e-mail não será publicado. Requerido(*).