Já é fato conhecido de todos que as intensas e constantes chuvas, que afligem Campo Novo desde o inicio do ano, causaram muitas avarias nas estradas da zona rural do município e, consequentemente, interferiram nos deslocamentos de cargas e pessoas em todas as regiões, chegando até a impedir o trânsito em algumas áreas.

Notícias sobre atoleiros, morros escorregadios impossíveis de subir, bueiros cedidos e até algumas pontes que ruíram chegaram dos quatro cantos do município causando preocupação à administração e essa situação se agravou desde o dia 18 de fevereiro com o início do ano letivo e, automaticamente, do serviço de transporte escolar.

Assim como os demais veículos, os ônibus escolares também sofreram para realizar seus trabalhos e conduzir os alunos até suas referidas escolas, em algumas situações chegando a parar o serviço devido à impossibilidade de deslocamento em algumas linhas.

Foi o caso dos ônibus que passam pela BR 421, trazendo os alunos para as escolas urbanas, que ficaram parados durante a primeira semana de aulas devido a um grande atoleiro que se formou próximo ao Rio Candeias. O serviço de transporte escolar na região foi regularizado no dia 25 de fevereiro.

Outra região que teve problemas causados pelas chuvas é a Linha Terra Roxa onde a ponte sobre o Rio Braço Esquerdo, muito importante para o trânsito na linha, foi arrastada pela correnteza. Como a ponte caiu antes do início do ano letivo, o Departamento de Transporte Escolar da Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer pode alterar os trajetos e assim assistir toda a região.

É importante ressaltar que mesmo com as ações da Secretaria de Educação, em parceria com outras pastas da administração, acontecem imprevistos que acabam atrapalhando o serviço, como atoleiros ou morros que ficam muito escorregadios durante as chuvas, mas que os problemas são sanados o mais rapidamente possível.

De acordo com o Gerente de Transporte Escolar, Marcelo Murata, “a Secretaria de Educação tem estado atenta aos danos causados pelas chuvas que impedem o transporte dos alunos e tem procurado buscar uma solução de forma rápida, seja alterando os trajetos dos ônibus ou acionando a Secretaria Municipal de Obras ou o DER para que a estrada seja reparada e o transporte normalizado”.

O exemplo mais recente dessa ação aconteceu na última segunda-feira, dia 11, quando um bueiro localizado no Travessão Ribeirinho, linha que dá acesso ao Distrito Villa União, se rompeu após uma forte chuva que durou mais de 6 horas e aumentou a quantidade de água acima da capacidade de escoamento do referido bueiro.

Como a chuva aconteceu durante a madrugada, os motoristas foram pegos de surpresa pelo rompimento do bueiro e quatro ônibus que realizam o transporte escolar nas linhas C2, C6, C10 e C14 não conseguiram chegar ao seu destino no dia 11, mas o tráfego foi restabelecido na quarta feira (13) após uma medida paliativa realizada pelo Departamento de Estradas e Rodagens do Estado de Rondônia (DER), responsável pela manutenção da via, em parceria com a Secretaria de Obras e Infraestrutura de Campo Novo.

“A Secretaria de Educação tem feito o possível para manter os serviços de transporte escolar mesmo com os problemas que surgem diariamente. É de muita importância que a população nos comunique sobre as áreas onde o trafego está com problemas para que possamos tomar providencias o mais rápido possível”, disse Marcelo.

Calendário Letivo

Fortes chuvas são constantes em nossa região nessa época do ano e a população já é acostumada com esse fato, mas há certo tempo não se via um verão tão chuvoso quanto o que estamos passando.

Esse fato juntamente com a extensa malha rodoviária e os recursos cada vez mais escassos que chegam ao município de Campo Novo acabaram atrapalhando mais do que esperado o inicio do ano letivo municipal nas escolas da zona rural.

Enquanto nas escolas urbanas, Escola Cassiano Ricardo e Creche Paulo Coelho, as aulas começaram no dia 18 de fevereiro, a Escola 7 de Setembro, no Distrito Três Coqueiros, e a Escola Rio Branco, no Distrito Rio Branco, foram forçadas a iniciar o ano letivo nos dias 04 e 07 de março, respectivamente.

Esse atraso aconteceu devido às fortes chuvas que atrapalhariam e até impediriam os alunos de chegarem até às escolas uma vez que a grande massa de alunos mora distante das instituições.

Segundo dados da Secretaria de Educação, 1182 alunos foram atendidos pelo serviço de transporte escolar municipal em 2018, seja com frota própria ou terceirizada. Ainda não há estimativa referente ao ano letivo de 2019.

Thiago Laurencio
Departamento de Imprensa e Comunicação
Prefeitura Municipal de Campo Novo de Rondônia

Sem comentários.

Deixe uma resposta

O e-mail não será publicado. Requerido(*).