Aconteceu durante os dias 14, 15 e 16 de agosto, no município de Porto Velho, o V Seminário Internacional Perspectivas Florestais para Conservação da Amazônia.

Ao todo, foram 14 palestras e cinco mesas redondas, distribuídos durante os três dias de evento, com a participação de organizações do terceiro setor, entes públicos e privados com atuação no sudoeste da Amazônia em projetos voltados ao desenvolvimento regional, conservação da biodiversidade e mitigação das mudanças climáticas.

Entre os temas que foram discutidos, estiveram redes de articulação, conservação da biodiversidade, desenvolvimento econômico, povos tradicionais, mitigação climática e tecnologias, sempre ligando esses pontos as formas de uso e ocupação dos solos na Amazônia.

Os representantes de Campo Novo de Rondônia, enviados pela Secretaria Municipal de Agricultura, Meio Ambiente e Turismo (SEAMAT), foram o Secretário Moises Ferreira Oliveira Filho, o fiscal ambiental Marionildo de Almeida Landinho e a agente administrativa Catieli Oliveira de Sousa.

O Seminário

O Seminário foi uma realização do Centro de Estudos Rioterra, executora do projeto Semeando Sustentabilidade, que tem o patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Socioambiental e contou com a participação de várias instituições como a Ação Ecológica Guaporé – Ecoporé (RO), SOS Amazônia (AC), Universidade Federal do Paraná – UFPR (PR), Ministério do Meio Ambiente – MMA (DF), Latin America Forum Berlim – LAF (Alemanha), Biofílica (SP), Associação de Desenvolvimento Rural de Juruena – Aderjur (MT), Jabuti Filmes (RJ), Operação Amazônia Nativa – OPAN (AM/MT), Instituto Federal de Rondônia – IFRO (RO), Pacto das Águas (RO) e Energy Transition (Alemanha).

O projeto Semeando Sustentabilidade nasceu da proposição do Centro de Estudos da Cultura e do Meio Ambiente da Amazônia – Rioterra em parceria com a Universidade Federal de Rondônia-UNIR, Prefeitura de Itapuã do Oeste e Instituto Chico Mendes, representado pela gerência da Floresta Nacional do Jamari.

Devido a sua implementação e importância para região no tocante a conservação da biodiversidade e fixação de carbono, o projeto foi renovado em 2018. O projeto é realizado nos municípios de Porto Velho, Candeias, Itapuã do Oeste, Rio Crespo e Cujubim/RO, tem a pretensão de envolver e impactar positivamente os setores público e privado, bem como atores das zonas rural e urbana, beneficiando-os com a recuperação de áreas degradadas e/ou alteradas, fortalecimento das organizações sociais, inclusão de gênero, assessoria técnica e extensão rural para agricultores familiares e cadastramento ambiental rural/CAR para que se regularizem ambientalmente.

O projeto trabalho muito em cima da educação ambiental, comunicação, produção de mudas e recuperação de áreas degradadas.

Eventos como este incentivam e instruem como desenvolver trabalhos ambientais de maneira a balancear o desenvolvimento econômico e social com a conservação ambiental.

Com informações de SEAMAT.

Thiago Laurencio – Assessor de Imprensa e Comunicação.

Sem comentários.

Deixe uma resposta

O e-mail não será publicado. Requerido(*).