A Prefeitura de Campo Novo de Rondônia vem a publico esclarecer os fatos divulgados pela reportagem intitulada “População teme fechamento de escola, na linha C6, em Campo Novo RO” produzida e veiculada pelo site Sintonia de Rondônia.

Primeiramente, é dever informar que em momento algum houve, por parte dessa administração, afirmação sobre o fechamento da Escola Nova Floresta assim como não foi negado matricula a nenhum aluno da rede municipal de ensino.

A única informação verdadeira apresentada por essa reportagem é o pedido para que os alunos residentes na Linha C6/São Pedro fossem matriculados na Escola Cassiano Ricardo, zona urbana de Campo Novo de Rondônia.

Esse pedido foi realizado devido a uma mudança na rota do transporte escolar pois a Secretaria de Estado de Educação (SEDUC) implantou a Mediação Tecnológica na Escola Tancredo Neves, no Distrito Vila União, e teve necessidade de direcionar os alunos da linha para a citada escola. Esse fato refletiu nos alunos da rede municipal de ensino pois o transporte escolar é compartilhado entre Município e Estado e caso não houvesse a mudança o Município precisaria arcar sozinho com uma nova rota de transporte. Sobre esse pedido de transferência, a própria comunidade local requereu explicações por parte da Secretaria Municipal de Educação e foi prontamente atendida pela Secretária e equipe técnica em reunião realizada na própria comunidade.

Também foi vinculado na matéria, falas de uma moradora afirmando que o projeto do espaço educativo, atualmente paralisado, foi “feito só no papel para poder pegar o dinheiro” e que “o recurso veio”, mas que ninguém sabe onde tá.

Sobre isso, informamos que em momento algum chegou aos cofres da Prefeitura o recurso total de R$ 1.085.806,15 (um milhão e oitenta e cinco mil, oitocentos e seis reais e quinze centavos) principalmente por que o valor de R% 114.272,70 (cento e quatorze mil, duzentos e setenta e dois reais e setenta centavos) é contrapartida da Prefeitura Municipal, ou seja, sairão diretamente dos cofres municipais, pagos por recursos próprios e não por repasse.

Assim sendo, o recurso direcionado pelo Governo Federal é R$ 971.533,45 (novecentos e setenta e um mil, quinhentos e trinta e três reais e quarenta e cinco centavos), sendo que foi repassado, até o momento, R$ 748.083,10 (setecentos e quarenta e oito mil e oitenta e três reais e dez centavos), pois os recursos de obras do Governo Federal são disponibilizados conforme é realizada a comprovação de execução da obra, ou seja, o recurso é liberado de acordo com o andamento do projeto.

Informamos também que a paralização das aulas, citada na reportagem, não é apenas na Escola Nova Floresta, mas em todas as instituições que atendem alunos da zona rural, e foi motivada pelo grande volume de chuvas e dos problemas causados pelas mesmas que impossibilitam o fornecimento de transporte escolar de segurança para os alunos.

Esclarecemos também que a manutenção da RO 462, popularmente conhecida como Travessão Ribeirinho, mostrada na reportagem é obrigação do Departamento de Estradas e Rodagens do Governo do Estado de Rondônia e, por mais que seja desejo dessa administração garantir a trafegabilidade da mesma, não há a possibilidade de intervenção por parte da Secretaria Municipal de Obras, que já se encontra sobrecarregada de serviços.

Assessoria de Imprensa e Comunicação

Prefeitura de Campo Novo de Rondônia

Sem comentários.

Deixe um comentário

O e-mail não será publicado. Requerido(*).

1 × 1 =